top of page
  • Foto do escritorLorrana Marino

Opinar ou não: quando uma marca deve se posicionar?

Em um mundo cada vez mais conectado e consciente, as marcas enfrentam o desafio constante de determinar quando e como se posicionar sobre temas relevantes para sua audiência. Segundo a caçadora de tendências, Sabina Deweik, as pessoas querem cada vez mais se associar a marcas que mostram o que pensam! A tomada de posição é vista como positiva, pois fortalece o vínculo com os consumidores e demonstra comprometimento com os valores que constroem a marca. 


Porém… a falta de autenticidade ou o alinhamento inadequado com a identidade da marca podem resultar em consequências negativas. Como, por exemplo, quando marcas fazem greenwashing (posicionar-se em prol da natureza, tendo atitudes contrárias). Mas, como opinar de forma estratégica?



1. Compreenda a audiência e relevância do tema: 

É preciso compreender profundamente sua audiência e os temas que são importantes para ela. Pesquisas de mercado, análise de dados demográficos e conversas ativas com os consumidores são formas assertivas de identificar os assuntos que ressoam com sua base de clientes. Isso garante que o posicionamento da marca seja genuíno e bem recebido.


2. O posicionamento é coerente com os valores da marca?

O posicionamento da marca sobre um tema deve estar alinhado com seus valores e missão. Os consumidores são perspicazes e podem detectar tentativas superficiais de capitalizar tendências ou causas populares. Ao decidir opinar, as marcas devem considerar se o tema está ligado à sua identidade e se têm moral para abordá-lo.


3. Opinar é abraçar a oportunidade de um impacto positivo:

Ao escolher um tema, as marcas devem considerar o potencial de impacto positivo nos negócios. Como por exemplo, apoiar causas sociais, ambientais ou políticas - que estejam alinhadas com os valores da marca - e que beneficiem a comunidade ou o planeta como um todo. 


4. Avalie riscos:

Antes de se posicionar sobre um tema controverso ou polarizador, as marcas devem avaliar cuidadosamente os riscos e possíveis consequências. Isso inclui considerar a reação da audiência, o impacto na reputação da marca e as implicações comerciais a longo prazo. Às vezes, a neutralidade pode sim ser a opção mais prudente, especialmente em questões divisoras.


5. Comunique de forma clara e transparente:

Se a marca decidiu se posicionar, então é importante que a mensagem fique explícita e clara. Isso envolve explicar o raciocínio por trás da posição adotada, demonstrar comprometimento com a causa e estar aberta ao diálogo com os consumidores. A honestidade é essencial para construir confiança e credibilidade.


Um bom exemplo de posicionamento autêntico foi a publicação para o mês do orgulho LGBTQIAPN+ pelo Instagram da Soma Quatro. Além do post ser claro sobre o tema e o que defende, a empresa possui funcionários que se enquadram na sigla em todas as hierarquias. 





Em resumo, a decisão de uma marca de se posicionar sobre um tema deve vir de uma compreensão profunda de sua audiência, valores e oportunidades de impacto positivo! Ao adotar uma abordagem estratégica e autêntica, as marcas podem fortalecer o relacionamento com os consumidores e contribuir para um mundo melhor de forma significativa.



Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page